Buscar
  • Farol Conteúdo e Joy Hostel

COMO VIAJAR COM O DOGUINHO DE FORMA SEGURA?

Atualizado: Jan 23

Lembra de mim? Eu sou o Joy, mascote do Joy Hostel. Eu preparei algumas dicas para os humanos que têm pets, como eu, e não querem deixá-lo para trás nas férias. Confira:


Joy - Mascote do JoyHostel

Já não é de hoje que nós (doguinhos) fomos promovidos a membros oficiais da família, não é mesmo? Por isso, nada mais justo do que estarmos incluídos também nos planos de viagem de férias das nossas famílias.


Aí você me pergunta: "Mas Joy, será que vale a pena viajar com meu cachorro?" E minha resposta é: "Sem sombra de dúvidas!" Hehehe


Mas antes de embarcar nessa aventura é muito importantes que todos estejamos por dentro das regras, do que pode, do que não pode e do que deve ser feito para que a viagem corra tranquilamente e para que todos fiquemos felizes e com fotos boas. kkkk


Então aqui vão algumas dicas de ouro:


1. De carro ou de avião?


Uma das primeiras coisas para definir antes de embarcar numa aventura com seu cachorro é definir o meio de transporte. Claro, isso vai depender muito da distância da sua viagem e do valor que está disposto a pagar.

Carro - Pegar a estrada pode ser uma opção divertida, apesar de mais demorada (em alguns casos). Nesse modal, dependendo do tamanho do seu doguinho, você também terá a oportunidade de manter um contato direto com ele/ela durante todo o trajeto. Ainda assim, você não está livre de preocupações e algumas precauções devem ser tomadas antes de ligar os motores. A primeira coisa que deve se atentar é nas regras do Código de Trânsito Brasileiro. Transportar animais no colo, com a cabeça para fora do carro, ou soltos dentro é uma prática MUITO perigosa e proibida. O cãozinho pode distrair o motorista e, em caso de colisão, ele estaria completamente vulnerável. Além de se ferir, ele pode ferir também os demais passageiros e motorista. E lembre-se: se a polícia pegar, "é multa, cumpadi!" Então, jamais faça isso, mesmo que esteja circulando dentro da cidade. A melhor forma de viajar com seu pet é com uma caixinha apropriada. A caixa fica presa no cinto de seguranças, dando mais firmeza e estabilidade para o cachorrinho. Outra opção é utilizar o cinto de peitoral, que funciona como uma guia e é preso diretamente na entrada do sinto de seguranças. Tenha certeza de limitar o tamanho dessa guia, para que o cachorro não consiga alcançar o banco dianteiro. O sinto de segurança é mais em conta e você encontrará opções a partir de R$ 30, nas lojas especializadas. Claro, algumas dessas dicas funcionarão melhor para algumas pessoas, e outras para outras. Tudo vai depender do porte do seu dog e quão acostumado ele está a andar de carro. Por isso, antes de pegar a estrada, não se esqueça de acostumar o seu pet com essa experiência, pois muitos podem ficar ansiosos ou até enjoados, o que traria uma experiência estressante e não relaxante, como deve ser uma viagem em família. =)


Aqui vão algumas dicas para quem decidir por esse modal:

  • Durante a viagem, evite música extremamente alta, afinal de contas, os cachorros possuem um audição muito mais sensível do que os humanos.

  • Faça uma pausa a cada 2 horas, pelo menos, para que o cachorro possa caminhar um pouco, esticar as pernocas e beber água. Isso fará bem para você e para ele.

  • Esteja atento à temperatura. Evite direcionar o ar diretamente ao animal. Pensando nisso, é importante também ter certeza de que o filtro de ar está limpo antes de pegar a estrada. Poeira pode trazer problemas respiratórios ao animal.

  • Evite ambientes muito quentes. Os cachorros são muito mais sensíveis a temperatura do que humanos. Se está calor pra você, saiba que para ele está muito pior. Isso vale também para aquele momento que você vai entrar no carro que esteve no sol por alguns minutos. O banco pode estar muito quente e queimar o dog. Por isso, abra o carro e deixa refrescar por alguns minutos antes que entrar.

  • Jamais deixe seu animal trancado sozinho no carro, mesmo que com vidros abertos. Se for descer, desça com ele/ela também.


Avião - Caso decida por avião, é importante ficar atento às regras, que variam de acordo com a companhia aérea escolhida. Dependendo do porte do seu cãozinho, você poderá levá-lo na própria cabine do avião. Isso faz com que a viagem seja muito mais agradável para ele do que se fosse no "porão". A LATAM, por exemplo, permite que animais com até 10kg sejam levados na cabine. Já na Azul, o limite é de 5kg. AUmigos maiores que isso devem ir nos compartimentos inferiores da aeronave. Para evitar problemas, certifique-se de que a caixa transporte seja do tamanho certo para nós. Afinal, ninguém gosta de viajar apertado ou sem água. Outra coisa que é MUITO importante ficar ligado é que algumas raças (especificamente os braquicefálicos, que tem o focinho achatado) não devem viajar de avião, pois o voo pode causar problemas respiratórios. Algumas empresas aéreas, inclusive, não permitirão que o doguinho embarque. É importante verificar se a empresa aceitará o seu cachorro antes de comprar as passagens. Enquanto verifica isso, aproveite para confirmar se não será necessário contratar um seguro viagem para o pet. Viagens para a Europa, por exemplo, exigirão o seguro. Cães-guia podem acompanhar seus humanos em todas as companhias aéreas e para todos os destinos, seja internacional ou nacional. Afinal, eles estão lá a serviço.

2. Onde se hospedar?


Não esqueça de buscar uma acomodação pet friendly que receba seu aumigo com o carinho que ele merece. Alguns sites de reserva como Booking.com e Hoteis.com, por exemplo, possuem filtros de "pet friendly" ou "permitem animais", que podem ser selecionados no momento da busca por uma hospedagem. Use esses sites apenas como referência. Se achar algum meio de hospedagem que te agrade, antes de confirmar a reserva, entre em contato direto e pergunte sobre como funciona e se há cobrança de valores extras por animal. Lembre-se que fazer reserva diretamente com o meio de hospedagem é normalmente mais barato do que reservas por agências de viagem e sites como Booking.com e Hoteis.com.


De acordo com uma pesquisa da Hoteis.com, houve um aumento de 300% na procura por hospedagens pet friendly (como o Joy). Esse aumento foi ainda mais expressivo após 2020, com a pandemia do COVID19. Segundo o Hoteis.com, 1/3 dos brasileiros se sentem mais estressados com a ideia de terem que se afastar do seu pet após a quarentena.


3. Visite o Veterinário


Antes de colocar o pé na estrada, é importante nos levar a um veterinário para exames de rotina. Aliás, essa é uma ótima oportunidade para perguntar se vale a pena dar um calmante leve para o seu pet. Assim, ele viaja mais relaxado... Alguns animais ficam super tranquilos na estrada. Então nem sempre isso será necessário.


4. O que fazer?


Aqui no Joy Hostel nós receberemos seus pets com o maior carinho e prazer. Durante a sua passagem por Brasília, indicamos passeios e até lugares onde seu cachorro pode passar o dia se divertindo. Vem pra cá! No seu destino, verifique as opções de passeios que possa incluir seu pet. Restaurantes, parques ou shoppings. Brasília é uma cidade abençoada com muitas áreas verdes, abertas e locais que recebem seu pet de braços abertos. Passeios pelo Parque da Cidades Dona Sarah Kubitscheck, Pontão do Lago Sul, Gramadão da Octogonal, Parque da Península, Parque das Garças, Terraço Shopping são comuns entre os moradores da cidade.


5. Não esqueça nossos documentos


Você precisará levar alguns documentos, como o Formulário de Solicitação para Transporte de Animais (no caso de via aérea), atestado sanitário e carteira de vacinação. Alguns meios de hospedagem exigirão esses documentos no momento do check in.

Quer mais dicas de como viajar com a gente? Acompanha o perfil do Joy Hostel, aqui no Instagram. A gente se vê em breve. Tchau-AU!


14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo